quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Impressões Inusitadas! – Segunda Parte

Untitled Document

Essa é a parte final da reportagem sobre as impressões inusitadas. Veja as outras formas de impressão que facilitam o trabalho e dá espaço para a criatividade para as pessoas: 

6. Mãe, o que você vai imprimir para o jantar?

Pesquisadores têm trabalhado em impressoras 3D de comida há algum tempo, mas parece que só agora os resultados estão se tornando realidade.  A Fab@Home 3D printer, desenvolvida por alunos da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, consegue imprimir massas e biscoitos, além de fazer coberturas.


Essa nova tecnologia promete revolucionar a indústria alimentar. A impressora faz tudo sem sujeira e trabalho: basta apenas programar a máquina e preparar a mesa. É bom reservar um lugar na cozinha. 

7. Impressão no meio do deserto

Colocar uma enorme impressora 3D no meio do deserto e transformar areia em vidro. Essa foi a ideia (bastante sustentável, diga-se de passagem) do designer industrial Markus Kayser. Ele passou quase um ano inteiro construindo a Solar Sinter e duas semanas testando-a no meio do deserto do Saara, onde encontrou matéria-prima abundante para fazer vidro: calor e areia.


Fazendo vidros de forma sustentável (Fonte da imagem: Divulgação)

Seu experimento funciona apenas com energia solar, e forma vidro a partir da areia derretida do deserto. Assim, a engenhoca desenvolvida por Kayser não tem custos com matéria-prima, energia e funcionários, apresentando uma enorme vantagem em relação ao modelo de fabricação de vidro atual.

8. Trocando o verbo asfaltar

Diga adeus para o verbo asfaltar, graças a essa impressora de estradas gigante. Com a Tiger Stone, é possível imprimir 400 metros de rua por dia, com a força de três trabalhadores. A máquina é obra de um projeto holandês, que está propondo substituir os caminhões de piche por peças pré-moldadas que se encaixam e são fixadas ao solo rapidamente.


Imprimindo ruas (Fonte da imagem: Divulgação)

Os trabalhadores precisam apenas colocar os tijolos na máquina para que ela vá imprimindo o piso. Por enquanto, a Tiger Stone está sendo usada somente para criar ruas em chácaras e lugares similares e não opera em ruas e avenidas ainda. 


9. Revolucionando os transplantes


Ao que parece, a Universidade de Cornell está se especializando em impressões de terceira dimensão. Agora, pesquisadores projetaram uma orelha feita de silicone usando uma impressora 3D, o que pode representar uma grande evolução na área de transplantes.


A impressão de partes do corpo poderá substituir implantes (Fonte da imagem: BBC)

A equipe agora trabalha na criação válvulas cardíacas sintéticas, usando o mesmo sistema. A nova tecnologia já tem nome: bioimpressão, e deve estar disponível dentro de 20 anos. Os cientistas esperam um dia conseguir produzir partes funcionais do corpo humano.

E você! Qual tipo de impressão você gostou? Achou algum realmente útil? Já pensou em alguns desses formatos de impressão!?

Nenhum comentário:

Postar um comentário